Sebastião era do exército Romano

BLOG

Sebastião era do exército Romano

Postado em 20/01/2017

Irmãos e irmãs, celebrar a festa do Padroeiro é sempre um momento muito forte para a igreja que o faz, porque é um momento bom, propício para a catequese, para o resgate da fé daquele centro, daquele núcleo que torna todos nós batizados, cristãos vivendo e convivendo com o Pai. São Sebastião, Padroeiro desta paróquia foi Mártir, ou seja, derramou o seu sangue por causa da fé, testemunhando sua fé em Jesus Cristo.
Sebastião era do exército Romano e muito querido pelo imperador , usou dessa amizade com o imperador o acesso que tinha com os soldados do Império para pregar o evangelho. Mas Sebastião sabia que se fosse pego nesta prática de evangelizar, seria morto e assim aconteceu. Alguém o denunciou e na época havia muita perseguição. O imperador não queria cristãos no seu reinado. Então, Sebastião como aparece na imagem foi flechado e muitas pessoas não sabem que ele não morreu com estas flechadas, conseguiu sobreviver e retomou sua saúde e , continuando a evangelizar. Ele não desistiu de continuar sua missão, de levar a proposta de Cristo a aqueles que estavam dispostos a ouvir. Então, outra vez, ele foi martirizado e dessa vez não resistiu e morreu. Ao exemplo de São Sebastião, muitos e muitos santos na historia repetiram este gesto de amor maior, não a própria vida, mas a semeadura da proposta do Evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo.
Nós vimos nas leituras estes gestos de entrega já no antigo testamento com os jovens Macabeus e assim por diante. Nós cristãos, nos dias de hoje, quais são os nossos desafios? Nós veneramos os santos porque eles deram este testemunho de desprendimento até de suas próprias vidas. Muitas pessoas procuram os santos para pedir graças e milagres que se realizam em suas vidas por intercessão deles. No entanto a igreja nos propõe a imitação, um modelo a ser imitado, pois chegaram a este extremo de aprofundar neste evangelho de Jesus. Não tenham medo daquele que mata o povo, mas não pode matar a alma, não chega a destruir o núcleo fundamental do ser humano.
Irmãos e irmãs, nós cristãos de hoje também somos desafiados a dar testemunho do Evangelho. O Papa Francisco nos diz claramente “Não diga que hoje é mais difícil”, nós temos esta mania quase natural de dizer que as coisas são desse jeito, que tudo vai se acabar, que agora tudo não presta e antes parece que tudo era bom, tranquilo, não é nada disso. O Papa nos diz “não diga que hoje é mais difícil viver o evangelho” é diferente. Nós temos desafios diferentes, somos desafiados a viver nossa fé neste mundo e como vamos vivê-la? Profundamente arraigados no Evangelho. É isto que o Papa nos propõe. Voltemos ao Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Aquele núcleo central e fundamental da nossa fé. Que tal imitarmos São Sebastião, nos colocando no dia de hoje também a dar testemunho da nossa fé com nossa vida, passando por este mundo fazendo o bem como diz na Carta de São Pedro: “Se tiverdes de sofrer por causa da justiça, sereis felizes. Não tenhais medo de suas intimidações, nem vos deixeis perturbar. Antes, santificai, em vossos corações, o Senhor Jesus e estais sempre prontos a dar testemunho da vossa esperança e a todo aquele que fora pedir.” Nós não temos que entrar em uma guerra de religião e fingir aos outros a força àquilo que nós acreditamos. É preciso fazer isso com muito carinho, como proposta de vida. Não nos cabe ficar criando conflitos e guerras. A quem diga “mas por que você acredita nos santos?” Você tem que dizer o porquê você acredita. Simples assim, com alegria e com muito carinho. “Fazei, porém, com mansidão, respeito e com boa consciência.”